Expediente Fale conosco
Jornal PUC  
Brasão da PUC-Rio e selo 80 anos
Entrevista

Socorro a alunos que sofrem com a exclusão digital Por: .

Mesmo com todo o esforço de funcionários, alunos e professores da PUC-Rio para dar continuidade às atividades de ensino, tão logo o distanciamento social foi implantado no Estado do Rio de Janeiro no início da pandemia, alguns alunos não puderam participar das atividades acadêmicas por falta de equipamentos e acesso à internet.

Diante desse cenário, os decanos dos Centros de Ciências Sociais (CCS), professor Luiz Roberto Cunha, de Teologia e Ciências Humanas (CTCH), professor Júlio Diniz, Técnico e Científico (CTC), professor Silva Mello,  e de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), professor Hilton Koch, procuraram a Vice-Reitoria Acadêmica para propor a implantação do Programa de Inclusão Digital e abraçar esses alunos que estavam em desvantagem em relação aos demais.

O objetivo do Programa de Inclusão Digital é promover o acesso a computadores e pacotes de dados (internet) que atendam às necessidades acadêmicas de alunos da PUC-Rio regularmente matriculados na graduação, que estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica, cuja renda familiar mensal per capita seja igual ou inferior a três salários mínimos. A meta é distribuir até 1.500 computadores e 1.700 pacotes de dados por meio de um fundo de apoio com base em doações financeiras.

Os professores Augusto Sampaio, Vice-Reitor para Assuntos Comunitários (VRC), Mônica Herz, Vice-Decana Setorial de Pesquisa do CCS, e Sidnei Paciornik, Vice-Decano Setorial de Desenvolvimento do CTC, e Juliana Bacellar, coordenadora-geral de Bolsas e Auxílios da VRC, contam de que forma será implantado o programa e como serão os critérios para o aluno ser beneficiado pela iniciativa.

 Augusto Sampaio, Mônica Herz, Sidnei Parciornik e Juliana Bacellar
Augusto Sampaio, Mônica Herz, Sidnei Parciornik e Juliana Bacellar

Como surgiu a ideia de organizar um movimento pela inclusão digital dos alunos da PUC-Rio?

Augusto Sampaio: Já havia um atendimento inicial aos alunos FESP, e, quando os decanatos apresentaram a ideia da Campanha de Inclusão Digital, devido às aulas de acesso remoto da PUC, a Vice-Reitoria Comunitária (VRC) abraçou a proposta imediatamente. Temos hoje 1.318 alunos com perfil filantrópico 100%, ou seja, com renda familiar per capita de até 1,5 salários mínimos, que já atendemos, via Fundo Emergencial de Solidariedade da PUC-Rio (FESP), com alimentação e transporte, mas que, independentemente das aulas remotas, sempre precisaram de apoio com computadores. Além de termos iniciado uma campanha para auxiliá-los na compra de cartão alimentação durante a pandemia, pois a situação socioeconômica das famílias ficou ainda mais comprometida, fechamos também parcerias com o Instituto PHY, doadores individuais e utilizamos nossos recursos de doações internas de funcionários, professores e departamentos para a compra e doação de computadores. Além disso, a VRC recebe algumas máquinas usadas e, com o trabalho voluntário de funcionários para formatar, doa aos alunos esses equipamentos, que são imprescindíveis para aqueles que vivem com tão pouco dinheiro, mas que não abandonam o sonho de terem seu diploma universitário. Muitos deles são os primeiros de suas famílias a terem Ensino Superior.

Mônica Herz/Sidnei Paciornik: Logo que a pandemia nos obrigou a interromper as aulas presenciais e iniciar aulas on-line, percebemos que muitos alunos possivelmente teriam dificuldades. Seja pela falta de um computador, seja pela limitação de pacote de dados para ter acesso à internet. Inicialmente, fizemos o empréstimo de cerca de 30 notebooks, cedidos por diversos setores da PUC ou comprados para atender a demandas específicas. Posteriormente, percebemos que era muito importante estruturar este apoio de forma mais ampla e profissional.

Quais são as principais dificuldades enfrentadas por alunos da Universidade que estão em situação de vulnerabilidade social?

Juliana Bacellar: É até difícil responder a esta pergunta devido à diversidade de alunos com situação de vulnerabilidade social, muitas gravíssimas, procurando a Vice-Reitoria Comunitária. Além das bolsas, fundamentais para ter o acesso à Universidade, a permanência é algo desafiador. Diríamos que o principal é fazer com que o aluno chegue à sala de aula, via auxílio-transporte e, agora com o ensino remoto, o acesso a computadores e pacote de dados, e o auxílio-alimentação, pois, por incrível que pareça, muitos não têm como se alimentar na PUC e alguns deles passam esta dificuldade também em casa, sendo a refeição na Universidade a única completa que eles têm acesso ao longo do dia.

Mônica Herz/Sidnei Paciornik: Enviamos a estes alunos um questionário para identificar estas dificuldades. As respostas mostraram que 25% dos alunos não possuem computador, 42% compartilham computador com outras pessoas, 7% não têm acesso à internet em casa e 39% têm um plano de internet insuficiente. Tivemos notícia de alunos que eram obrigados a adiar a entrega de trabalhos porque seu pacote de dados havia acabado, ou que usavam internet de vizinhos, ou ainda que assistiam às aulas na tela do celular etc.

Que tipo de apoio os alunos contemplados pelo projeto receberão da PUC-Rio? E como esta ajuda chegará até eles?

Juliana Bacellar: Uma das possibilidades será a retirada do material na própria Universidade, dependendo das ações governamentais de mobilidade no Grande Rio, e, prezando pela transparência, o aluno assinará um termo de recebimento da doação. Este é um aspecto. Ou entregaremos a doação em suas residências, o que dependerá das empresas das quais vamos receber as doações ou nas quais faremos a compra. Caso a entrega do computador seja na PUC-Rio, disponibilizaremos o auxílio-transporte para os mais pobres, pois, em tempo de pandemia, o dinheiro gasto nesse item faz muita falta ao orçamento familiar.

Mônica Herz/Sidnei Paciornik: O Projeto de Inclusão Digital visa disponibilizar pacotes de dados para acesso à internet e computadores notebook. O aluno pode solicitar apoio para ambos os itens. A logística de distribuição ainda será definida. Será estabelecido um procedimento para fazer chegar às mãos dos alunos contemplados o chip para acesso à internet e/ou o notebook.

A seleção dos alunos que serão beneficiados pelo programa de Inclusão Digital será feita de que forma? Como os estudantes devem fazer para participar do projeto?

Juliana Bacellar: A seleção virá em forma de Edital que contempla os perfis socioeconômicos, prazos, procedimentos e as recomendações para a utilização das doações, pois o maior objetivo do projeto é que os alunos não interrompam a participação nas aulas por falta desses itens. Para participar, o estudante deverá acompanhar as informações disponíveis no site.

Mônica Herz/Sidnei Paciornik: A PUC-Rio vai lançar um edital com regras e prazo para participação e critérios para priorização dos candidatos. Os alunos devem acompanhar as informações disponíveis no site da PUC ou diretamente pelo site www.puc-rio.br/inclusaodigital.

A Universidade já tem uma estimativa de quantas pessoas deverão ser auxiliadas com este projeto?

Juliana Bacellar:
É complicado fazer uma estimativa dos computadores, pois, de acordo com o acompanhamento que fazemos com os alunos, sabemos que, além dos que atendemos ao longo dos anos com computadores, muitos se esforçaram para adquiri-los de modo parcelado. Com relação ao pacote de dados, esta é uma informação que provavelmente os decanatos terão pelo acompanhamento da presença dos alunos que conseguiram participar das aulas e daqueles cujos pacotes de dados ou internet WI-FI não permitiram a presença nas aulas.

Mônica Herz/Sidnei Paciornik:
Gostaríamos de atender cerca de 1.500 alunos de graduação, inicialmente, mas o número exato vai depender da captação de recursos para o fundo constituído para o projeto. Contamos com o apoio de professores, funcionários, alunos e da Associação de Antigos Alunos (AaA PUC-Rio), além de empresas. No futuro, o projeto poderá ser estendido para atender alunos de pós-graduação e funcionários.

A Universidade também vai fornecer apoio técnico para os alunos? (ajudar na configuração de computadores, instalação dos computadores na casa dos alunos etc).

Juliana Bacellar:
A Vice-Reitoria Comunitária não estará envolvida nesse aspecto diretamente, pois essa não é nossa expertise. Pretendemos, sim, acompanhar os alunos e, quando possível, buscarmos dentro da comunidade PUC-Rio intermediações com voluntários, caso os alunos necessitem desse tipo de apoio.

Mônica Herz/Sidnei Paciornik:
Na maioria dos casos, os computadores notebook já estarão configurados pelo fabricante e não exigirão nenhuma instalação especial. A opção por notebooks, inclusive, facilita este processo e aumenta a flexibilidade de uso pelos alunos. Via internet, os alunos poderão instalar programas para os quais a PUC-Rio oferece licença gratuita, por exemplo Microsoft Office, e de comunicação, por exemplo o Zoom. Programas mais específicos poderão ser instalados posteriormente, com suporte da equipe do RDC ou dos próprios departamentos.
 
Hoje, qual a porcentagem de alunos beneficiados com as iniciativas filantrópicas da Universidade?

Augusto Sampaio:
Aproximadamente 20,5% dos alunos, considerando os números fornecidos pelo Sistema de Gerência Universitária (SGU) a que temos acesso, estão oficialmente com bolsas na filantropia e/ou permanência estudantil (auxílio-transporte e alimentação). Além desse percentual oficialmente utilizado pela PUC-Rio para a sua filantropia, temos outros projetos que atendem alunos com esse perfil socioeconômico e que, além das bolsas que financiam, fazem também doações para cursos, computadores, alimentação, transporte, dentre outros apoios como abrir campo de estágio em empresas, além de funcionários e professores que já investem nessas iniciativas. Esse tipo de iniciativa, arrecadando financiamento entre pessoas físicas ou empresas, tem sido uma busca constante da VRC para ampliar os auxílios extras.

Mônica Herz/Sidnei Paciornik:
Consideramos também que, dada a crise econômica deflagrada pela pandemia, outros alunos ainda não atendidos pelas bolsas de filantropia possam estar em situação de vulnerabilidade e também fazem parte do público alvo deste Projeto de Inclusão Digital.

Publicada em: 03/08/2020 Ver matérias da seção: Entrevista

Nesta Edição

anterior < Adote um Calouro: acolhida virtual em tempos de distanciamento

Para promover a integração de

...

próxima > Reflexões sobre Comunicação Social na CNBB

Andréia Gripp foi convidada pa

...

DESTAQUES

Seminários de Informática Em formato de lives, os encontros do Seminário de Pós-Graduação em Informática são realizados às sextas-feiras, às 15h, e transmitidos por meio da plataforma Zoom e no canal do Departamento de Informática no YouTube. Leia mais.
Violência contra a mulher O Departamento de Serviço Social organiza o Webinário sobre o e-book As muitas faces da violência contra a mulher na perspectiva de gênero. Leia mais.
Campanha Arquidiocese A PUC-Rio e a Arquidiocese do Rio de Janeiro coletam doações de alimentos não perecíveis e produtos de higiene e limpeza para famílias carentes afetadas pela Covid-19. Leia mais.
Mestrado em Geografia As inscrições para o Mestrado em Geografia vão até o dia 13 de outubro. A área de concentração é Geografia e Sustentabilidade. Leia mais.
Bibliotecas As bibliotecas continuam fechadas, mas estão com serviços de home office para atender alunos e funcionários da PUC-Rio. Leia mais.
Office 365 A Universidade tem um acordo com a Microsoft que prevê disponibilizar o Office 365 para toda a comunidade PUC. Entre no link para fazer o cadastro e obter o acesso ao pacote on-line. Leia mais.